Posts Tagged ‘sustentabilidade’

Outdoor produz água para consumo

Outdoor produz água para consumo

Lima, no Peru, ganhou um outdoor especial que possui um sistema capaz de absorver as partículas de água presentes na atmosfera.

O equipamento filtra o líquido adquirido, para que a água fique própria para consumo.

Instalada durante uma campanha no ano passado, a estrutura contou com um tanque capaz de armazenar mais de 95 mil litros de água, distribuídos para as pessoas por meio de uma torneira inserida na base da placa de propagandas.

Embora esteja localizada no deserto do Atacama, a capital do Peru é uma das cidades que registram os maiores índices de umidade do ar.

Vá de Bike em Londres

Vá de Bike em Londres

A re:route criou um novo aplicativo para iPhone! Mas não é um app de jogo, foto ou chat, este é dedicado à saúde humana e ambiental, em Londres. Como funciona?

1) Baixe o aplicativo no iPhone

2) Não use carro, transporte-se de bicicleta ou caminhando

3) Acumule pontos e gaste em estabelecimentos de sua preferência (marcas como Marks&Spencer, Cineworld, Haven Holidays e outras já aderiram ao projeto)

O slogan é engraçado e simples: “Fazer parte é tão fácil como 1-2-3”!! (Tradução de “Taking part is as easy as 1-2-3”)

Não vale tentar enganar o app, pois contém GPS e timer para garantir suas “rotas verdes”.

PALESTRA SOBRE “COMO A SUSTENTABILIDADE PODE GERAR RESULTADOS PARA O SEU NEGÓCIO?”

PALESTRA SOBRE “COMO A SUSTENTABILIDADE PODE GERAR RESULTADOS PARA O SEU NEGÓCIO?”

CONFIRA ABAIXO O CONVITE DA PALESTRA A SER REALIZADA NO MÊS DE JUNHO, EM BLUMENAU:

Um Litro de Luz

Um Litro de Luz

A fundação MyShelter está fazendo algo diferente, algo que nos faz acreditar que ainda há uma saída para problemas simples que nunca foram resolvidos.

Atualmente milhões de filipinos ainda não tem acesso a qualquer tipo de luz dentro de seus lares, por isso, foi criado o projeto Isang Litrong Liwanag (um litro de Luz), que foi desenvolvido por estudantes do MIT.

A ideia é  original, uma garrafa de plástico com água sanitária instalada em um telhado de metal, refratando a luz solar para dentro da casa.

Inovações simples, que podem ajudar a mudar o mundo.

The Story of Cap & Trade

The Story of Cap & Trade

Annie Leonard, a ambientalista americana, conhecida pelo projeto  “The Story Of Stuff”  (A história das coisas) lança o vídeo “The story of Cap & Trade”, uma discussão sobre a venda de carbono e a tentativa de grandes corporações de conter a emissão de carbono no mundo.

TV ISAE Brasil

TV ISAE Brasil

Dei uma entrevista para a TV ISAE Brasil, com o tema inovação, sustentabilidade e como criar um ambiente favorável a novas ideias.

Fonte: www.isaebrasil.com.br/tvisae

O Consumo Colaborativo

O Consumo Colaborativo

O consumo colaborativo é a nova realidade de mercado. Com a idéia de gastar menos, comprar mais e principalmente ajudar na preservação do planeta. Ao invés de comprar, trocar ou alugar bens de consumo, este fenômeno vem crescendo em todo o mundo e agora no Brasil.

A tendência do consumo colaborativo cresce em torno da teoria dos 3Rs (três erres): redução do consumo de resíduos, reutilização dos produtos e reciclagem ao final da vida útil. A transformação do bem em serviço é o que faz a proposta ser tão atraente para a expansão do pensamento de que “o que é seu, também é nosso”. (Fonte: Info)

No livro Consumo Colaborativo (Collaborative Consumption), a escritora e consultora Rachel Borsman e o empreendedor Roo Rogers definem o Consumo Colaborativo  como “refere-se à expansão das práticas de compartilhamento, troca, empréstimo, intercâmbio, aluguel e doação, reinventados por meio da tecnologia de rede em uma escala e de uma maneira sem precedentes”.

Aqui no Brasil encontramos alguns sites que oferecem serviços de aluguel fracionado de carros Zazcar, bazar vitural Enjoei, um espaço de coworking da The Hub e o INIO (I Need, I Offer) onde todo o sistema de trocas é feito pelo Facebook, que atualmente conta com  1.100 pessoas cadastradas.

Outro serviço brasileiro é o DescolAí, que possibilita não apenas trocar bens, mas também alugá-los.

“O DescolaAí nasceu quando, olhando a quantidade de lixo que estamos coletando via TerraCycle, começamos a nos perguntar como evitar a geração de resíduos. Fui atrás de projetos internacionais, mas nenhum atendia as necessidades do projeto para o Brasil. Isso porque o brasileiro é desconfiado, então o maior investimento do projeto até agora está no desenvolvimento da tecnologia aplicada, para darmos total segurança para os usuários”, diz Guilherme Brammer, presidente do TerraCycle no Brasil e criador do site DescolaAí.

Portanto, a idéia não é deixar de usar os produtos, mas sim, possuir menos e compartilhar mais.

Um Marketing Brilhante para Sustentabilidade

Um Marketing Brilhante para Sustentabilidade

Um Flash Mobs brilhante para um tema clássico. Uma idéia inteligente para chamar a atenção para uma causa muito importante, a quantidade de lixo fabricada no mundo.

Wishcraft – Criamos Bolsas Coletando Lixo Reciclável

Wishcraft – Criamos Bolsas Coletando Lixo Reciclável

Uma forma diferente e sustentável de manter e atrair novos alunos para a escola, a escola particular Cavite Institute, nas Filipinas, criou um projeto inovador, ao invés de pagar as mensalidades com dinheiro, os alunos que não tem condições financeiras podem pagar com lixo.

No Programa “Wishcraft” (siga em inglês de Criamos Bolsas Coletando Lixo Reciclável e Gerado com Frequência) as bolsas de estudos ou os descontos variam conforme a quantidade e o tipo de material reciclável, isto ajuda que estudantes de áreas carentes também possam ter acesso a um ensino de qualidade.

Muitos alunos que podem pagar as mensalidades trazem os lixos da sua casa para doar e alguns estudantes até convidam seus vizinhos e parentes para ajudarem nas coletas destinadas ao pagamento dos seus estudos, tornando o programa colaborativo.

O programa proporciona  acesso a educação, permitindo que crianças e adolescentes que apresentam diferenças sociais possam ter um futuro melhor e conscientizando-os da importância de cuidar do meio-ambiente.

Mais uma iniciativa inovadora para tratar de um dos problemas mais pungentes da sociedade atual.

Sustentabilidade com Diversão

Sustentabilidade com Diversão

Arquitetos vão transformar incineradora de lixo em pista de esqui!

Coisa de primeiro mundo!!!

O escritório BIG Architects foi selecionado para construir uma fábrica incineradora de lixo que vai gerar energia limpa para Copenhagen, na Dinamarca. Até aí nada de novo. Mas, dado à localidade do país – quase próximo do pólo norte – os arquitetos resolveram inovar, com um projeto que deve atrair mais turismo para a cidade.

Eles vão construir uma fábrica que, no inverno, vai servir também como pista de esqui. O telhado será um declive, com diversos níveis para quem quiser esquiar, construído com um material sintético reciclado. O acesso ferá feito através de um elevador ao longo da chaminé da fábrica.

O local deve começar a funcionar – tanto para produzir energia, como para esquiar – em 2016. Até lá, em uma área industrial da capital da Dinamarca, os arquitetos terão a tarefa de lidar com 650 milhões de dólares, para aplicar em tecnologias no tratamento de lixo e no ambiente de diversão.

Fonte: Revista Exame (http://exame.abril.com.br/negocios/inovacao/galerias/design/arquitetos-vao-transformar-incineradora-de-lixo-em-pista-de-esqui)

Save as WWF, save a tree

Save as WWF, save a tree

Quantas vezes já fizemos impressões desnecessárias de arquivos que nem usamos mais?

Foi pensando nisso que a WWF desenvolveu o projeto “Save as WWF, save a tree”, que criou um formato de arquivo próprio, o .WWF, ecologicamente correto, qualquer arquivo neste formato não pode ser impresso e quem recebê-lo também  terá  a opção “imprimir” bloqueada do mesmo.

A WWF sempre com iniciativas criativas para melhorar a conscientização.

Sustentabilidade: qual o real valor para seu negócio?

Sustentabilidade: qual o real valor para seu negócio?

Sustentabilidade: qual o real valor para seu negócio?

Palestra realizada para Kantar WorldPanel no lançamento do GreenTermometer em São Paulo, Outubro/2010

A companhia de energia elétrica que abriu uma academia

A companhia de energia elétrica que abriu uma academia

Verdade seja dita: ninguém pensa em companhias de energia elétrica. Você só lembra que ela existe em duas situacões: quando falta luz ou quando chega a conta. E geralmente a lembrança vem acompanhada de adjetivos nada elogiosos.

É aqui que entra a bacaneza dessa ação lá da Suécia. Os caras fizeram uma academia de ginástica onde você produz sua própria energia correndo ou pedalando. Tem mais: toda a energia que você produz é deduzida da sua conta no fim do mês.

Pra divulgar isso eles fizeram o serviço completo: Twitter, Facebook, aplicativo mobile. Aliás, eles fizeram mais.

Já que o assunto é energia, eles estenderam a produção para energy drinks e energy bars. Não acho que seria o suficiente para me levar rotineiramente para uma academia. Mas que é uma bela idéia para fazer as pessoas se envolverem um pouco mais com a produto, isso é.

A criação (que não é exatamente nova e ganhou o Future Lions da AKQA no ano passado) é da Berghs School Of Communication da Suécia.

Fonte: Via brainstorm9

Inovação Social

Inovação Social

É preciso uma transformação social para resolver os problemas, como: exclusão social, democracia, participação cívica e falta de qualidade de vida, mas para isso é necessário modificar os modelos atuais.

A Inovação Social ajuda a encontrar novas soluções com parcerias público-privadas que pretendem estimular descobertas de técnicas e metodologias que favoreçam uma mudança social e o desenvolvimento sustentável.

Utilizar a criatividade do setor privado e dos empreendedores sociais para criar uma idéia de como melhorar o serviço público que é prestado atualmente.

Estas transformações também podem ser desenvolvidas com a ajuda da comunidade, encontrando no cotidiano, formas simples de melhoria das condições de vida.

O empreendedorismo social acredita que coisas novas e eficientes podem gerar um aumente na produtividade nos setores públicos e de caridade, muitos destes empreendedores são conhecidos até hoje por suas inovações sociais.

Muhammad Yunus é um bom exemplo disto, sempre que possível utilizo e indico seus livros e cases nas minhas aulas, palestras e clientes, Yunus é fundador do Grameen Bank, que foi ganhador do prêmio Nobel da paz.

Também temos um exemplo nacional, a Teia MG, com o objetivo disseminar os conhecimentos sobre empreendedorismo, tecnologia e Inovação,  apresentando a comunidade meios de construir um conhecimento coletivo através da web colaborativa.

Graves problemas sociais têm sido resolvidos por projetos inovadores, no entanto, os resultados gerados não são os esperados, mesmo com o grande fluxo de boas idéias.

FIEMG – Empresas debatem sustentabilidade e inovação

FIEMG – Empresas debatem sustentabilidade e inovação

Cerca de 130 pessoas, entre empresários, dirigentes de classe, integrantes do Poder Público e colaboradores de empresas de diferentes segmentos do Vale do Aço participaram nesta terça-feira, 14, do Seminário de Responsabilidade Social Empresarial promovido pela Fiemg Regional Vale do Aço e Comitê de Responsabilidade Social Empresarial na Fundação ArcelorMittal Acesita, em Timóteo.

Com o tema “Sustentabilidade, Governança e Inovação”, o seminário, que teve a abertura do presidente da Fiemg, Luciano Araújo, contou com a palestra de Moysés Simantob, co-fundador e atual coordenador executivo do Fórum de Inovação da Escola de Administração de Empresas de São Paulo (FGV-EAESP) e co-autor do Guia Valor Econômico de Sustentabilidade nas Empresas.

Engenheira Mecânica pela Escola Politécnica da USP, Mestre em Administração pela FEA/USP, com treinamento como docente pela Harvard Business School, Cristina Fedato, que é instrutora da rede Ethos/Uniethos e consultora de empresas para Sustentabilidade e Responsabilidade Corporativa, discorreu sobre o tema “Gestão da Sustentabilidade na Cadeia de Valor”.

Para o presidente da Fundação ArcelorMittal Acesita, Anfilófio Salles, o seminário regional é uma oportunidade de as empresas e seus colaboradores conhecerem temas atuais sem precisar se deslocar aos grandes centros. “Se um evento desses ocorresse em Belo Horizonte, dificilmente os empresários e seus funcionários teriam como participar. E acontecendo aqui é uma possibilidade de multiplicar. É uma importante ação da Fiemg no intuito de disseminar esse conhecimento nas regionais”, frisa.

Coordenadora do Núcleo de Responsabilidade Social do Sistema Fiemg, Marisa Seoane Resende, destacou que o seminário busca refletir por meio de exemplos práticos e também servir de inspiração. “O envolvimento das empresas do Vale do Aço é muito bom. A gente tem um público de pessoas que trabalham nas empresas muito significativo. Isso demonstra um envolvimento não só no Seminário, mas também em outras ações, como o Dia V e o Comitê de Responsabilidade Social.”

Realizado a cada dois anos nas regionais da Fiemg, os eventos locais são uma espécie de “aquecimento” para o seminário internacional que sempre ocorre em Belo Horizonte. Além de Moysés Simantob e Cristina Fedato, o público conferiu uma mesa de debates sobre o tema “A nova era da Responsabilidade Social mútua e o papel do consumidor”, com Fabián Echegaray, da Market Analysis, e Márcio Reis, do Instituto Akatu. Já a representante do Sesi e Centro de Integração e Apoio ao Portador de Deficiência, Jackeline Figueiredo Barbosa Gomes, discorreu sobre “Inclusão social no ambiente de trabalho”.

Patrocinado pela Fiemg, Sesi, Usiminas, ArcelorMittal Inox Brasil e Mendes Júnior, o Seminário de Responsabilidade Social Empresarial do Vale do Aço teve o apoio da Ebec e do Instituto Cenibra.

Um asfalto mais sustentável

Um asfalto mais sustentável

O projeto ainda não está pronto, há diversos pontos que ainda precisam ser modificados, mas a idéia do engenheiro elétrico Scott Brusaw, de Sagle, Idaho (EUA) poderá trazer mudanças na forma de captação de energia solar.

Brusaw acredita que substituir o asfalto comum por célula solar em estradas é o caminho para a energia renovável. Entretanto, as células não suportam o peso e o impacto dos caminhões e outros veículos, por isso precisam ser reforçadas e encontrar uma forma de melhorar a aderência do pneu no vidro, as células precisam ter a textura de um asfalto.

Se os painéis realmente derem certo será capaz de produzir cerca de 7,6 quilowatts-hora de energia diária e esta energia permitirá a recarga de veículos elétricos nas estradas.

Fonte: Revista Galileu

Sustentabilidade, Governança e Inovação

Sustentabilidade, Governança e Inovação

Palestra realizada para a FIEMG no Seminário de Responsabilidade Social Empresarial - Regional Vale do Aço em Ipatinga, Setembro/2010

O Futuro da Competição: aprender a inovar cada vez mais rápido

O Futuro da Competição: aprender a inovar cada vez mais rápido

Num contexto mais complexo de planejamento e diante da velocidade das mudanças econômicas, tecnológicas, sociais e ambientais os administradores tem sido forçados a aprender cada vez mais rápido. Tal aprendizado exige métodos que permitam representar e avaliar a complexidade cada vez maior do ambiente que nos cerca. A gestão sistemática da inovação é um dos métodos capaz de criar tal aceleração.

Isso pôde ser notado na recente premiação das Empresas mais Inovadoras do Brasil, onde como jurado do prêmio, pude observar a experiência das fábricas da Whirlpool, dona das marcas Brastemp e Consul, de onde saem a cada mês mais de meio milhão de geladeiras, freezers, fogões, microondas, condicionadores de ar, aspiradores de pó e purificadores de água. Segundo José Aurélio Drummond, presidente da Whirlpool para o Brasil e América Latina, “uma parcela importante dessa produção, estimada pelo mercado em mais de 80%, está relacionada a produtos lançados nos últimos três anos. Somente no ano passado, a empresa apresentou ao mercado 160 novos itens, média de três por semana. E deve encerrar 2010 com 200 novidades no portfólio. Desse total, boa parte entra na seleta categoria de produtos inovadores. Essa cultura de inovação rendeu à Whirlpool o primeiro lugar no ranking do prêmio Empresas mais Inovadoras do Brasil, uma iniciativa de Época NEGÓCIOS em parceria com a consultoria AT Kearney.

Pilhas mais sustentáveis

Imagine uma pilha que pode ser recarregada por vibrações. Acabou a pilha do controle remoto? É só sacudi-lo para recarregar. A empresa japonesa Brother Industries inventou este um novo tipo de pilha recarregável, substituindo as comuns, que atualmente são um grande problema para o meio ambiente, produzindo uma grande quantidade de lixo tóxico.

Fonte: Tech-On

Palestra na FIBoPS

Começou hoje, em São Paulo, a 3ª Fibops, uma feira pró-sustentabilidade, organizada pelo Instituto Mais.

Neste evento acontece o I Congresso Internacional de Boas Práticas Socioambientais, que conta com a participação de especialistas de diversos países, nas áreas: Arquitetura e Construção; Inovações Tecnológicas; Energia, Emissões e Economia; Transporte e Turismo; Agronegócios e Logística; Saneamento e Serviços Ambientais; Moda, Beleza/Saúde e Consumo; e TI Verde.

Apresentei de manhã uma palestra sobre “As OIS e as consequências de seu crescimento”, no Painel Inovações Tecnológicas – As mais avançadas soluções pró-sustentabilidade, que você pode conferir abaixo:

Design para uma vida melhor

A nova invenção da Booble Store é a Water Bobble, uma garrafa que filtra a água enquanto você consome.

Na onda dos produtos sustentáveis, evita o desperdício de águas engarrafas de plástico, com seu design inteligente o filtro remove o cloro e contaminantes orgânicos provenientes da água de torneira.

Plástico é reciclado e livre de BPA (Bisphenol-A).

Como funciona a garrafa?

Fontes:

http://www.thedieline.com/blog/2010/02/water-bobble.html

http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI153085-17770,00-GARRAFA+FILTRA+AGUA+ENQUANTO+VOCE+BEBE.html

http://www.waterbobble.com/#/Bobble-Water-Products

Eco4Planet

Imagine que suas buscas na internet podem ajudar o planeta. No GoogleEco4Planet” a cada 50 mil buscas realizadas por meio da ferramenta, uma árvore é plantada. Na página principal é possível ver o número de acessos e quantas árvores já foram plantadas.

E tem mais, ao entrar no site, seu fundo da tela é preto, nem parece o Google, mas essa mudança visa economizar 20% da energia do monitor. Seu objetivo principal é diminuir a emissão de gás carbônico durante nossas atividades diárias.

Uma Nova Proposta de Valor é o Desafio da Empresa Inovadora Sustentável

A velocidade das mudanças climáticas, sociais e tecnológicas tem sido tão vertiginosa que está tornando obsoletas as organizações que não se adequam às novas necessidades. Essa realidade força os administradores a aprender mais rápido, o que exige métodos que permitam representar e avaliar a complexidade cada vez maior do ambiente que os cerca.

Como disse o futurista Peter Schwartz, “os indivíduos e as organizações têm pouco controle sobre as forças ambientais que causam mudanças nas sociedades e nas organizações. Porém, os estrategistas podem descrever uma situação estratégica usando seu conhecimento sobre a natureza e a estrutura do negócio, bem como usando seu conhecimento das metas de longo prazo da empresa e do ambiente no qual ela está imersa”.

Nesse contexto, sobra pouco espaço para organizações departamentalizadas, desenhadas como se fossem máquinas, com processos rigidamente mecânicos e que funcionavam bem para um momento, um mercado e uma expectativa da sociedade que não existem mais.

Conectividade entre ambientes

Atualmente, os negócios exigem a construção de cenários que incluem muito mais conectividade entre o ambiente global (economia, tecnologia, cultura), ambiente de mercado

(consumidores, competidores, fornecedores) e ambiente da empresa (produção, distribuição e comunicação). Somente quem

dominar esses três ambientes entenderá porque, para 87% dos executivos de 133 empresas em 29 países, as mudanças climáticas representam o maior desafio para os negócios nos próximos cinco anos. Ou ainda, como, de 10 mil consumidores ouvidos em 22 países, cerca de 95% alegam disposição para pagar mais por um produto verde, comprovadamente sustentável, mas apenas 12% havia feito isso nos últimos 12 meses anteriores, por falta de oferta de produtos sustentáveis.

Ler esses cenários é fundamental, mas o que cria as condições para uma organização inovadora sustentável é entender a linguagem do novo consumidor. Segundo Jeffrey Immelt, CEO da GE, “quando a sociedade muda de opinião, é melhor estar na vanguarda que na retaguarda”. A criação do valor sustentável, como defende o professor da Universidade Cornell Stuart Hart – especialista em estratégias empresarias para as populações de baixa renda e autor de Capitalismo na Encruzilhada -, segue um modelo onde o planejamento se baseia em considerar sempre cenários presente e futuro nos aspectos interno e externo à empresa.

Questionamentos de resultados

Na prática, significa, por exemplo, tratar a prevenção da poluição com as seguinte perguntas: Onde se localizam os desperdícios e emissões da organização? Podemos baixar custos e riscos através da eliminação de desperdícios? Vencer esses desafios é caminhar para o uso de tecnologias limpas. No plano externo, o questionamento deve levar em conta questões como as implicações para o desenvolvimento de produtos se for assumida a responsabilidade pelo ciclo total de vida dos produtos ou se é possível reforçar a legitimidade e a reputação da organização através do engajamento de mais stakeholders (ou novos grupos de fornecedores, consumidores etc.).

O resultado de um processo como esse é minimizar o processo de resíduos e melhorar a produtividade dos recursos, desenvolvendo novas competências, que levam a saltos inovadores e à descoberta de necessidades não satisfeitas, que podem ser oferecidas pela organização. Por outro lado, se consegue um menor impacto no ciclo de vida do produto e eleva-se a transparência da organização.

Esse caminho não é fácil e óbvio, mas já há iniciativas em todos os setores e tamanhos de empresas. Mesmo que os resultados não apareçam de repente e em todas as áreas simultaneamente, as metas precisam ser encaradas em conjunto e com planejamento de longo prazo.

Maura Campanili e Moysés Simantob

Diálogo Wal-Mart para Sustentabilidade: Compromisso com a Amazônia

Dia 20 de maio, o grupo Wal-Mart Brasil abriu um diálogo com a intenção de levar as empresas a terem um compromisso com a Amazônia, visando ao reconhecimento de sua importância. O diálogo foi feito com a sociedade civil e os setores ambientais e sociais.

A real intenção do evento foi conscientizar sobre a comercialização dos produtos da Amazônia, com responsabilidade socioambiental. O Wal-Mart se reuniu com ONGs e empresas fornecedoras, para debater diversos assuntos, levando em consideração que o principal problema, segundo os representantes da sociedade civil, está relacionado à cadeia produtiva da carne, que é a maior causa do desmatamento.