Tecnisa aposta no pioneirismo digital

A empresa fez da internet seu diferencial no ultracompetitivo mercado da construção civil

Por Rafael Barifouse

Romeo Busarello, diretor da Tecnisa, e Eduardo Leite, diretor de publicidade da Editora Globo

Em 1999, quando a Tecnisa realizou a primeira venda pela internet do mercado de construção civil, a rede ainda dava seus primeiros passos. Desde então, a rede mundial de computadores cresceu e ganhou mais relevância com uma série de novos serviços, como redes sociais, portais de vídeos e blogs. A estratégia online da construtora paulista acompanhou essa trajetória ao construir pouco a pouco um variado leque de iniciativas na web. Este diferencial em um setor ultracompetitivo conferiu à empresa a 16ª posição no ranking As Empresas Mais Inovadoras do Brasil, uma iniciativa de Época NEGÓCIOS em parceria com a consultoria A.T.Kearney.

“Inovar é teimosia, e isto prova que estamos teimando pelo caminho certo. Estar ao lado de empresas que são referências globais é um orgulho”, disse Romeo Busarello, diretor de relacionamento com o cliente e de internet da Tecnisa, durante a premiação, realizada nesta quinta-feira (09/09), em São Paulo. “Um prêmio como esse dá um gás e faz com que as pessoas da empresa tenham vontade de inovar ainda mais”.

Aquela primeira venda pela internet realizada há pouco mais de dez anos fundou um setor estratégico da Tecnisa. Com um time de 42 corretores exclusivos para a internet, a Tecnisa inicia um terço de suas vendas na rede. A presença em 11 redes sociais permite não só se relacionar com clientes, mas também gera 15 mil visitas para o seu portal, o que resulta em uma venda por dia. Mas a construtora hoje vai muito além das vendas online.

A internet está presente em todas as fases do negócio. O serviço Google Earth permite que seus analistas prospectem 30 terrenos digitalmente em um dia. Antes, estes profissionais só conseguiam verificar três locais pessoalmente. Uma enciclopédia online interna abastecida por 130 engenheiros com vídeos, textos e imagens retém o conhecimento destes profissionais e o faz circular pela empresa.

Pelo blog, pioneiro no mercado corporativo brasileiro, a empresa identifica falhas da operação por meio dos comentários e críticas deixados pelos visitantes. “O mais frequente é a gente levar porradas, porque não moderamos os comentários”, afirmou Busarello. “Virou uma forma das pessoas se expressarem livremente e um instrumento democrático de cobrança de eficiência.”

A mais nova iniciativa chama-se Técnica Idéias, um site em que funcionários e clientes sugerem melhorias para produtos e serviços da empresa. Se a ideia é adotada, seu autor recebe 10% do valor da economia gerada a partir dela.

Nem tudo deu certo. Em 2007, a Tecnisa foi a primeira empresa brasileira a se estabelecer no Second Life. Saiu após um ano. Mesmo tendo vendido dois apartamentos por meio do mundo virtual, a construtora viu que a iniciativa daria prejuízo e decidiu bater em retirada. “Com a internet, a receita é uma esperança, e o custo, uma certeza. Mas sempre preferimos arriscar e sair na frente”, disse Bussarelo. “Mesmo sem retorno financeiro, eu faço barulho e construo uma reputação. E reputação ajuda a vender, e muito.”