Conheça os critérios de avaliação do prêmio

As inovadoras

Época NEGÓCIOS premia as companhias que mais inovam no Brasil, em parceria com o Best Innovator, da consultoria A.T. Kearney

Por Época NEGÓCIOS

Dona das marcas Brastemp e Consul, a subsidiária da americana Whirlpool, fabricante de eletrodomésticos, sagrou-se a melhor entre as melhores na segunda edição da premiação AS EMPRESAS MAIS INOVADORAS DO BRASIL, promovida por Época NEGÓCIOS. A iniciativa contou, neste ano, com a parceria da consultoria A.T. Kearney, que introduz assim no Brasil seu prêmio internacional Best Innovator. Realizado a cada ano, desde 2002, em 15 países europeus e nos Estados Unidos, o certame foi uma resposta às pressões por aumento da intensidade da inovação de produtos e serviços em um mercado globalizado. Mais de mil empresas participaram desde então. “Os investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), por si, não eram suficientes para explicar como se dá o fenômeno da inovação”, afirma o consultor Markus Stricker, sócio do escritório paulista da A.T. Kearney em São Paulo e responsável pelo Best Innovator na América Latina. Segundo ele, isso só se torna transparente com a análise aprofundada e holística dos diferentes aspectos da gestão da inovação.

Para selecionar as 20 empresas que compõem a lista de AS EMPRESAS MAIS INOVADORAS DO BRASIL/BEST INNOVATOR, a A.T. Kearney submeteu as 120 companhias inscritas a um questionário com 48 indagações com pesos diferenciados. Das 70 que concluíram as respostas, 25 foram selecionadas e receberam visitas técnicas da equipe da consultoria para comprovação e complemento das informações. Foram analisados seis pilares da inovação. São eles:

>>>Estratégia para a inovação_Avalia se a estratégia de inovação é desenvolvida e implementada pela alta gestão; se está vinculada à estratégia da companhia e se há metas quantitativas e qualitativas que devem ser alcançadas por meio de inovação bem-sucedida. A Whirlpool foi a empresa que mais se destacou neste quesito.

>>>Organização e Cultura_Investiga se a cultura de inovação está disseminada na organização como um fator-chave em suas competências, e como planeja incrementá-la. Também verifica se a empresa estruturou a organização de tal forma a obter as metas planejadas. O destaque neste quesito foi a paranaense O Boticário.

>>>Processo de inovação_Averigua como a empresa se estrutura tanto para gerar ideias como para conseguir implementá-las. Se utiliza métricas de avaliação para tornar o processo eficiente e se vale-se de fontes externas, como universidades e fornecedores, para captar ideias. A indústria química Dow foi a companhia que mais se destacou no quesito.

>>>Estrutura e suporte à inovação_Avalia como a empresa monitora o desempenho da inovação e quais as ferramentas de gestão que utiliza para esse fim, como sistemas de TI e de treinamento, reconhecimento e premiação. O destaque nesse quesito vai para a Basf, do setor químico.

>>>Sustentabilidade_Constata se as características dos produtos e serviços resultantes do processo de inovação estão sintonizados com os modernos conceitos de sustentabilidade ambiental e social. Também avalia a consistência dos investimentos em inovação ao longo do tempo. O destaque coube à Even, do setor de construção.

>>>Resultados da inovação_Mensura como o retorno dos produtos e serviços inovadores se espelha na receita da companhia. Também avalia quanto a inovação diferencia a empresa em seu mercado de atuação. Também nesse quesito a vencedora foi a Whirlpool.

REUNIÃO DO JÚRI
Na tarde de 19 de agosto, uma quinta-feira, os jurados se reuniram para definir a premiação, com base no relatório técnico da A.T. Kearney. Da esq. para a dir., José Roberto Dalmolim, consultor e coordenador executivo do levantamento; Clemente Nobrega e Markus Stricker, jurados; Tatiana Perim, consultora; Dario Gaspar, Eduardo Barreto e Moyses Simantob, jurados