Só inovação tecnológica não basta, afirma o presidente da Chemtech

Para Luiz Eduardo Rubião, a inovação deve ser tratada em todos os ambientes da empresa, da gestão à pesquisa

Por Viviane Maia

“Para uma empresa se diferenciar, só inovação tecnológica não basta”, afirma Luiz Eduardo Rubião, presidente da Chemtech, a grande vencedora do prêmio As Empresas Mais Inovadoras do Brasil de Época NEGÓCIOS, realizado em parceria com o Fórum de Inovação da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP).

Inovar na tecnologia, na gestão de pessoas e investir constantemente em pesquisa foram fatores determinantes para que a empresa ganhasse o prêmio mais importante da noite. De acordo com Rubião, a empresa especializada em engenharia e software chega a investir 6% de seu faturamento em pesquisas que resultam em projetos inovadores.

Rubião também considera importante o contato próximo com colaboradores, tanto que lá na Chemtech há um canal de comunicação direta entre o presidente e todos os funcionários. A ferramenta já ficou conhecida internamente como Rubião News. O objetivo é estimular as opiniões e discutir formas de como a empresa pode crescer de forma criativa.

O executivo compareceu ao evento de Época NEGÓCIOS, na noite desta terça-feira (07/07) juntamente com 14 funcionários da Chemtech para celebrar o prêmio. “Não houve um critério de escolha. Convidei alguns mais antigos de casa, mas ainda assim faltou muita gente”, disse o empreendedor que fundou a empresa há quase 20 anos com os engenheiros Geraldo Rochocz e João de Deus Fernandes, seus colegas no Instituto Militar de Engenharia (IME) e na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Nesta quarta-feira, a manchete do RubiãoNews será: “é campeão”, revela.