As empresas que fazem a diferença

Entre as 25 companhias premiadas pelo levantamento Época NEGÓCIOS/FGV-Eaesp, a carioca Chemtech, especializada em engenharia e software, despontou como a número 1 e pode ser considerada um centro de pesquisas e tendências

Por Época NEGÓCIOS Online

O levantamento Época NEGÓCIOS/FGV-Eaesp consagrou as 25 empresas mais inovadoras do Brasil. A cariocaChemtech despontou como a número 1 por sua capacidade de investimento constante em pesquisa, tecnologia de ponta e gestão diferenciada de pessoas.

Na categoria Inovação no Modelo de Negócio, destacaram-se a Ticket, a GVT, o laboratório Cristália e o C.E.S.A.R, Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife.

Em Estímulo à Inovação as vencedoras foram a IBM, a CI&T e o laboratórioDaiichi Sankyo.

Na categoria Processo de Inovação destacaram-se o Bradesco, a Brasilata, a Eletronorte e a Whirlpool.

Conheça, a seguir, algumas das vencedoras:

Chemtech, Rio de Janeiro (RJ)
A competência tecnológica da Chemtech, somada à política de gestão de pessoas, a qualifica como um exemplo de inovação no Brasil. A empresa, especializada em engenharia e software, investe em pesquisa, possui canais de comunicação direta com os funcionários e nutre um ambiente altamente criativo, em que as pessoas têm liberdade para expressar suas ideias.

Ticket, São Paulo (SP)
A criadora do conceito de refeição-convênio investe no desenvolvimento e na capacitação de seus empregados, incentiva a geração espontânea de ideias, por meio de um portal corporativo, e tem processos estruturados de inovação, como reuniões mensais do comitê de desenvolvimento de negócios.

GVT, Curitiba (PR)
A operadora de telefonia fixa e internet transformou o seu call center numa espécie de banco de dados que gera tendências e informações para novos produtos e serviços. Pelo call center, que não foi terceirizado, os executivos descobrem demandas dos consumidores e criam pacotes de serviços.

Cristália, Itapira (SP)
O laboratório farmacêutico apostou no conceito de inovação aberta e investiu na tendência mundial de as empresas pesquisarem de forma colaborativa. A companhia possui um conselho científico que conta com especialistas de diferentes áreas recrutados em cinco universidades do Rio de Janeiro, São Paulo, Amazonas e Rio Grande do Sul.

C.E.S.A.R., Recife (PE)
O Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife, especializado em desenvolver serviços de tecnologia da informação, adotou um modelo de negócios que privilegia a inovação aberta e incentiva o uso de redes sociais para compartilhar ideias.

Bradesco, Osasco (SP)
O banco foi pioneiro na criação de vários serviços utilizados atualmente por todo o sistema financeiro, como cartão de crédito e internet banking. Além disso, criou áreas para estudar tendências e desenvolver produtos e processos e agora investe em biometria e outras tecnologias de ponta.

Brasilata, São Paulo (SP)
A fabricante de embalagens metálicas criou um processo formal, chamado Simplificação, que gerou intensa participação dos funcionários na geração de novas ideias para melhorar produtos, processos e condições gerais de trabalho.

Eletronorte, Brasília (DF)
A distribuidora estatal de energia na região Norte e em alguns estados do Nordeste montou uma estrutura para fomentar processos inovadores, feita em três etapas: planejamento, geração de ideias e gestão da inovação. Os autores das propostas de maior destaque são premiados. Em três edições, foram distribuídos R$ 410 mil em prêmios aos funcionários.

Whirlpool, São Paulo (SP)
A fabricante de eletrodomésticos, dona das marcas Brastemp e Consul, investe anualmente R$ 100 milhões em pesquisa, desenvolvimento e inovação. Além disso, busca jovens talentos nas áreas de design e inovação em 36 universidades. É a quarta empresa em número de patentes requeridas no Brasil.

IBM, São Paulo (SP)
A multinacional especializada em soluções de tecnologia da informação criou diversas ferramentas de colaboração para estimular a criatividade e a pesquisa dentro da companhia. Elas permitem a participação dos 420 mil funcionários em todo o mundo. Os resultados no Brasil já podem ser vistos: em três anos, 30 patentes foram registradas, número bastante superior às três descobertas registradas nos 90 anos da IBM no Brasil.

CI&T, Campinas (SP)
A prestadora de serviços de tecnologia da informação abriu diferentes espaços para discussão e exploração de novas ideias, com a utilização de blogs, um banco de dados no modelo da enciclopédia interativa Wikipedia e aplicativos internos. No final de maio, havia 70 blogs na empresa que recebiam, em média, 5 mil contribuições por mês.

Daichi Sankyo, São Paulo (SP)
O laboratório farmacêutico, um dos principais representantes do mercado de remédios de cardiologia, introduziu uma série de ferramentas colaborativas para estimular a criatividade na empresa e permitir que os funcionários expressem suas ideias. Uma delas é o GiiMiiPedia, uma enciclopédia colaborativa, como a Wikipedia, em que os funcionários tomam conhecimento de tudo o que se passa na empresa.

Também integram a relação das mais inovadoras de Época NEGÓCIOS/FGV-Eaesp as seguintes companhias:

Ampla
Avaya
Brasilprev
Engeset
Even
JFL
Laboratórios Sabin
Lanxess
Leucotron
Prati-Donaduzzi
Predicta
Serasa
XP Investimentos