Oficinas

O Método das oficinas Métis  OMs

Os participantes das OMs serão orientados a sair a campo para levantar as grandes perguntas.

Uma vez os grupos formados e a critério deles, será definido com quantas pessoas falarão, quem serão os seus interlocutores (por exemplo, uma pessoa, uma família, formadores de opinião, pessoas na rua, comunidades científicas, etc.).

Os conhecimentos serão registrados em vídeo ou áudio, em blocos de papel, celular ou em qualquer outro meio, para que possam ser postos em prática.

Os grupos farão a consolidação da etnográfica preliminar, dentro do espaço reservado para o evento (os vários grupos sociais possíveis devem ser considerados e o recorte analítico deve ser feito coletivamente).

Finalmente, deverão, do primeiro para o segundo dia, preparar uma apresentação  (formato livre) a ser feita em plenário.

Toda a Trilha está estruturado para ocorrer em três tardes, em dias consecutivos.

 

Roteiro das oficinas Métis  OMs

 

Primeira Tarde

- Levantar as grandes perguntas relacionadas ao tripé temático da RSS 2009 ( capacitação, investimento e inovação). As perguntas propostas pelos grupos de participantes como também as sugestões  poderão ser contextualizadas de acordo com os seguintes aspectos: Existencial, Ético, Social, Político, Tecnológico, Econômico, Empresarial, entre outros.

- Exemplo1  : Que finalidade terá a CAPACITAÇÃO de hoje e de  amanhã com relação à formação ético-existencial?

- Exemplo 2 : Que esforço sociopolítico-empresarial será necessário para constituir INVESTIMENTOS que viabilizem o ecossistema de inovação para empresas de base tecnológica?

- Exemplo 3 : Que transformações na economia tecnológica favorecerão INOVAÇÕES comprometidas com avanços socialmente responsáveis em empresas existentes e start ups ?

 

Segunda Tarde

O segundo dia será dedicado à apresentação dos trabalhos em plenário. Cada grupo terá um tempo determinado para mostrar quais perguntas emergiram do trabalho de campo.

Num segundo momento, os grupos poderão fazer um exercício de cross-fertilization  para descobrir se essas perguntas oferecem uma trilha para que se possa fazer algo.

Se as perguntas forem consideradas como genéricas e/ou superficiais, os grupos poderão reformulá-las, buscando uma aderência ao tripé temático proposto pelos organizadores da RSS, e uma praticidade maior.

A partir daí poderão ser sugeridas Trilhas Criativas (TCs) . A proposta de criação das TCs é dar continuidade à reflexão originada nas OM´s a partir do uso da plataforma web, em websitecom, canal dedicado  ao que passaremos a chamar de Comunidade Métis. Esta comunidade será fomentada anualmente pelos organizadores desta trilha e os grupos iniciados na RSS 2009 serão convidados a apresentar projetos na RSS 2010. 

 

Terceira Tarde

As perguntas para a plenária seriam:

É possível sentir-se satisfeito com o trabalho realizado nessas três tardes?

Seria possível considerar a possibilidade das OMs transformarem-se em comunidades métis,com o intuito de dar continuidade ao trabalho?

Os grupos que, neste momento, desejarem transformar suas oficinas em comunidades métis serão convidados a definir os procedimentos necessários para que tais comunidades possam ser colocadas em funcionamento.

 

Papel dos organizadores da trilha

- Concepção da trilha e sua operação e participação presencial, em Recife, nas três tardes da trilha.

- Orientação do trabalho de campo dos  grupos. O método proposto é da prática à teoria e este será o ponto de partida da atuação dos organizadores da trilha.

- Organização dos debates sobre temas trazidos pelos grupos. Tais discussões acontecerão nas duas tardes seguintes e, se possível, ao longo do ano, seguindo o espírito da Métis.

- Construção conjunta e fomento das Comunidades Métis com lideranças da RSS.