O Consumo Colaborativo

O Consumo Colaborativo

O consumo colaborativo é a nova realidade de mercado. Com a idéia de gastar menos, comprar mais e principalmente ajudar na preservação do planeta. Ao invés de comprar, trocar ou alugar bens de consumo, este fenômeno vem crescendo em todo o mundo e agora no Brasil.

A tendência do consumo colaborativo cresce em torno da teoria dos 3Rs (três erres): redução do consumo de resíduos, reutilização dos produtos e reciclagem ao final da vida útil. A transformação do bem em serviço é o que faz a proposta ser tão atraente para a expansão do pensamento de que “o que é seu, também é nosso”. (Fonte: Info)

No livro Consumo Colaborativo (Collaborative Consumption), a escritora e consultora Rachel Borsman e o empreendedor Roo Rogers definem o Consumo Colaborativo  como “refere-se à expansão das práticas de compartilhamento, troca, empréstimo, intercâmbio, aluguel e doação, reinventados por meio da tecnologia de rede em uma escala e de uma maneira sem precedentes”.

Aqui no Brasil encontramos alguns sites que oferecem serviços de aluguel fracionado de carros Zazcar, bazar vitural Enjoei, um espaço de coworking da The Hub e o INIO (I Need, I Offer) onde todo o sistema de trocas é feito pelo Facebook, que atualmente conta com  1.100 pessoas cadastradas.

Outro serviço brasileiro é o DescolAí, que possibilita não apenas trocar bens, mas também alugá-los.

“O DescolaAí nasceu quando, olhando a quantidade de lixo que estamos coletando via TerraCycle, começamos a nos perguntar como evitar a geração de resíduos. Fui atrás de projetos internacionais, mas nenhum atendia as necessidades do projeto para o Brasil. Isso porque o brasileiro é desconfiado, então o maior investimento do projeto até agora está no desenvolvimento da tecnologia aplicada, para darmos total segurança para os usuários”, diz Guilherme Brammer, presidente do TerraCycle no Brasil e criador do site DescolaAí.

Portanto, a idéia não é deixar de usar os produtos, mas sim, possuir menos e compartilhar mais.

Leave a Reply