Transformação Digital

O conceito é simples: apontar organizações para a direção da economia digital. Desafiamos o estado das coisas das organizações, levando-as a um novo padrão de desempenho.

Ajudamos a moldar a forma como organizações irão desenhar e gerenciar seus negócios para uma economia de transição, onde o que está por aí já não serve mais tão bem e o que vem pela frente ainda não se sabe exatamente como funciona e por quanto tempo ficará.

O mundo empresarial, como ele está hoje

Nas últimas 4 décadas, a cada 3,5 anos, em média, ocorreu uma grande descontinuidade tecnológica, um padrão de grandes mudanças e rupturas que tende a continuar. Este é o “novo normal”. Google aposentou os mapas e as listas telefônicas impressas. O Netflix está tornando as locadoras de vídeo obsoletas. A Kodak testemunhou seu mercado desaparecer diante das câmeras dos smartphones e o Mashable já prevê o fim do Facebook até 2018, dando lugar ao Whatsapp, ao Snapchat ou a qualquer outra solução que surja até lá. Com o Uber e AirBnB vivemos o início promissor dos serviços sob demanda.

Em meio a tudo isso, atravessamos tempos caóticos. Certos modelos colapsam para que outros emerjam.

Quem hoje, em suas empresas, teria a coragem para propor “acho que está na hora de “formatar o negócio”. E mais: quantos diriam sim?

Então, o que tem faltado para que organizações percebam em tempo hábil o fim de um modelo de negócio e a oportunidade para criar um novo? Como construir um processo de gestão que gere, continuamente, centenas de novas opções estratégicas? Como acelerar a realocação de recursos hoje destinados a programas irrelevantes para iniciativas focadas no futuro?

Solucionar problemas já não basta, afinal, a normalidade não é mais tão normal assim. Como dizia George Bernard Shaw, “para todo problema complexo, existe uma solução clara, simples e errada. ”

Em nossa prática cotidiana com dirigentes empresariais é nítido um excesso de confiança em soluções convencionais. Isso tem se mostrado um risco porque flerta com o incrementalismo, que não ajuda a sair de crises ou superar concorrentes criativos, ágeis e bem conectados ao mercado.